Como é feita a impermeabilização de um imóvel?

A impermeabilização preventiva tem custo de 1% a 3% do valor da obra. Ações corretivas, no entanto, podem chegar a 20% do valor da construção, sem contar o incômodo trazido por essas intervenções depois que o imóvel está habitado.

Proteção nos pontos certos: garantia de sucesso

O segredo é blindar a construção nos pontos de contato com a água. Na maioria dos projetos, as principais áreas de risco são: alicerces ou fundações, paredes em contato com o solo, áreas frias e paredes externas, em contato com a chuva. Confira como impermeabilizar corretamente:

1 – Preparo da superfície a ser impermeabilizada.

A superfície deve ser regularizada antes da impermeabilização. Em terrenos irregulares, muros de arrimo ou cortinas e aterros são estruturas necessárias para que a construção possa ser realizada. Por estarem em contato com o solo, essas estruturas são pontos críticos de atenção quando o assunto é impermeabilização preventiva.

2 – Escolha do produto adequado para cada tipo de local e exigências técnicas.

Para construir e reformar sem dor de cabeça, uma das etapas mais importantes é a escolha dos produtos. O mercado da construção civil tem muitas opções e a escolha é cheia de riscos. Existem muitos critérios, listamos alguns deles para te ajudar nessa etapa fundamental:

Confira se a marca escolhida tem uma boa reputação no mercado. Você consegue conferir isso nas redes sociais e em sites de reclamações de consumidores. Cheque se o suporte técnico da marca atende os clientes e tira todas as dúvidas sobre os produtos e aplicações. Procure produtos que valorizem o visual do seu imóvel.

Avalie se as especificações técnicas estão sempre explicadas de modo simples, facilitando a aplicação do produto. Prefira produtos com longo ciclo de vida, pois eles diminuem os gastos com manutenções. Isso inclui desempenho, disponibilidade e durabilidade.

Considere antes de comprar quais serão os custos de consertos posteriores e também o impacto na saúde e na natureza. Confira se os produtos devem seguir as Normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) de fabricação

3 – Aplicação dos produtos seguindo todas as instruções fornecidas pelo fabricante (consumo, tempo de secagem, estruturação com tela, etc.)

Todo o processo deve estar explicado nas instruções de uso do produto, na embalagem. Pular algum passo pode causar uma grande dor de cabeça depois. A Mactra disponibiliza vídeos de passo a passo para não errar na aplicação dos produtos; você encontra todos eles no nosso site e no nosso canal no Youtube.

4 – Construção ou não de camada de proteção mecânica e seus devidos revestimentos.

Muitas vezes, é preciso uma camada de proteção depois da impermeabilização. Por exemplo, no caso das lajes é necessário fazer uma camada de cimento e areia (com ou sem tela, dependendo do uso da laje). Também é possível colocar revestimentos; em banheiros e cozinhas, por exemplo.

5 – Não agredir as áreas impermeabilizadas.

Nada de furar, cortar ou quebrar a área depois de impermeabilizada. Não adianta nada realizar todos os passos de modo certo e perder tudo. Então, não comprometa sua impermeabilização. Afinal, ninguém merece umidade e infiltrações no imóvel!

Saiba mais!